Quarta-feira, 13 de Setembro de 2006

FEIRA DE VELHARIAS EM HAVANA

000cwdz3

Está reunida em Havana a “Cimeira dos Países Não Alinhados”. Trata-se, como é bom de ver, de uma relíquia dos passados tempos da “guerra fria”. Este Movimento, na fase da sua criação e primeira fase de existência, desenvolveu um papel importante na afirmação política dos países em vias de desenvolvimento numa fase em que era necessário dar combate aos restos de colonialismo e ao neo-colonialismo e no apoio aos movimentos de libertação. Embora, desde a sua origem, o Movimento comportasse uma profunda contradição na sua composição, procurando afirmar-se fora ou além da dicotomia EUA/URSS que tendia a polarizar toda a geopolítica mundial, comportava países “alinhadíssimos” e praticando ditaduras em regime de partido único.  Mas, como voz do “Terceiro Mundo”, o Movimento, mais que os valores dos direitos humanos ou da democracia, conglomerava sobretudo vontades de afirmação desenvolvimentista pretensamente autónoma e estratégias de libertação da pata colonial. Não admira, pois, que o Movimento, desde o início, tenha sido acarinhado pela União Soviética (em disputa de influência com a China) e detestado pelos Estados Unidos e as potências coloniais (Portugal incluído e à cabeça). O que, desde logo, funcionou como baliza de parcialidade pouco não alinhada face aos blocos de então.

 

Com o decorrer do tempo, esgotando-se a agenda da sua afirmação e dos propósitos anti-coloniais, as Cimeiras dos Não Alinhados foram-se transformando em pouco mais que um “coro de caloteiros”. Ou seja, numa plataforma em que os governos que contraíam dividas externas vultuosas, quantas vezes gastas na corrupção ou em obras de fachada e faraónicas, exigiam que as dívidas exuberantemente contraídas lhes fossem perdoadas. Depois, com o advento do “domínio unipolar” e a implosão soviética, as referências autonómicas perderam todo o sentido. Hoje, sobrevive como uma mera velharia perante um mundo diferente. Ou, vamos lá, uma saudade excêntrica ou um jogo de ilusões complexadas.

 

Face aos conflitos culturais, políticos e civilizacionais do mundo de hoje, os “Não Alinhados” são uma aberração de identidade. E se olharmos para a sua composição, bem se pode dizer que o Movimento é “Alinhadíssimo”. Ou Cuba, a Coreia do Norte, a Arábia Saudita, a Síria e o Zimbabwe, seus membros, não são exemplos acabados de regimes violadores e contumazes dos mais elementares direitos humanos? Num aspecto, os representantes dos “Não Alinhados” têm sorte nesta Cimeira em que Cuba é anfitriã – vão poupar-lhes na paciência de em vez de terem de ouvir um discurso de sete horas do Comandante Fidel terão apenas direito, quando muito, a sete minutos soletrados do Comandante Enfermo. Só por isto, valerá a pena?

 

Imagem: Foto dos principais patronos da criação do Movimento (todos já falecidos): Nasser, Tito e Nheru.

Publicado por João Tunes às 15:21
Link do post
Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

j.tunes@sapo.pt


. 4 seguidores

Pesquisar neste blog

Maio 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Posts recentes

Nas cavernas da arqueolog...

O eterno Rossellini.

Um esforço desamparado

Pelas entranhas pútridas ...

O hino

Sartre & Beauvoir, Beauvo...

Os últimos anos de Sartre...

Muito talento em obra pós...

Feminismo e livros

Viajando pela agonia do c...

Arquivos

Maio 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Junho 2013

Março 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Junho 2012

Maio 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

Agosto 2004

Julho 2004

Junho 2004

Maio 2004

Abril 2004

Março 2004

Fevereiro 2004

Links:

blogs SAPO