Terça-feira, 26 de Julho de 2005

TALVEZ O MITO FASCISTA MAIS PERSISTENTE

europa[1].jpg

Eva Perón faleceu no dia 26 de julho de 1952. Portanto, hoje é dia de efeméride de um dos mais profundos e persistentes mitos latino-americanos. E como a América Latina é pródiga a construir e prolongar os seus mitos. Quase sempre, são mitos que simbolizam as utopias e as libertações desejadas e que se gostava não tivessem sido fogachos mas sim labaredas eternas na fogueira pela liberdade, igualdade e fraternidade. Simon Bolívar, José Marti, Luis Carlos Prestes, Che Guevara, idolatram-se porque se gostaria que as suas obras não fossem incompletas.

Mal parecia que, em terra de opressão fácil e de tiranias, alguém do campo do fascismo não fizesse companhia a estes ícones da esquerda e dos libertários. Existe e é o maior mito latino-americano (Che Guevara ainda precisa de pedalar mais um pouco para o bater) – Evita Perón. A alma da energia mobilizadora, da retórica e da demagogia de um dos fascismos mais pujantes e que mais a sério levou a prática da teoria fascista na sua deriva populista, ali apelidado de justicialismo, suportado nas massas fanatizadas dos descamisados organizados em sindicatos fascizados (tropa de choque de um catolicismo fascista e corrupto), um dos grandes aliados do fascismo e do nazismo na América do Sul (plataforma também dos negócios nazis), com amizades preferenciais com Franco, Salazar e Pio XII. E uma das formas com que Perón e Evita pagaram a lembrança do quanto ganharam com os pactos que fizeram com Hitler foi transformar a Argentina, depois da queda do Reich, no principal país de refúgio para os criminosos de guerra nazi.

Evita Péron morreu nova (33 anos), vítima de doença, o que ajudou ao mito. O marido (ex-amante), Coronel golpista Juan Péron, amigo estimado e protegido de Franco e de Salazar (foi em Portugal que Perón se exilou quando foi expulso da Argentina), sobreviveu-lhe o suficiente para relançar uma nova esposa para a ribalta política e permitir que o peronismo/justicialismo ainda seja uma força política que, de quando em quando, ressurge com força na arena política argentina.

A força do mito Evita (Lembram-se: “Não chores por mim, Agentina”?) tem uma força tamanha que até muita gente que se gaba de nada ter a ver com o fascismo (que horror!), ainda hoje se deixa fascinar pela figura dessa piedosa senhora a comandar os “descamisados” para a fuga da pobreza e pela conquista da dignidade humana...

Na imagem de cima, Eva Perón - nada "descamisada" - a ser recebida, em 1947, com todas as honrarias, por Francisco Franco e esposa.
Na imagem de baixo, depois da cerimónia de boas-vindas, Evita, na companhia fidelíssima do Ditador Franco, acena à multidão convocada em Madrid para mais um acto de idolatria histérica.


evayfranco[1].jpg
Publicado por João Tunes às 17:31
Link do post
Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

j.tunes@sapo.pt


. 4 seguidores

Pesquisar neste blog

Maio 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Posts recentes

Nas cavernas da arqueolog...

O eterno Rossellini.

Um esforço desamparado

Pelas entranhas pútridas ...

O hino

Sartre & Beauvoir, Beauvo...

Os últimos anos de Sartre...

Muito talento em obra pós...

Feminismo e livros

Viajando pela agonia do c...

Arquivos

Maio 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Junho 2013

Março 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Junho 2012

Maio 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

Agosto 2004

Julho 2004

Junho 2004

Maio 2004

Abril 2004

Março 2004

Fevereiro 2004

Links:

blogs SAPO