Domingo, 24 de Outubro de 2004

A CARTA MEXIA DO BARALHO SANTANA

dobby.jpg

A última quinta-feira foi o Dia 1 de Santana Lopes atirar a carta Mexia, o seu ás de trunfo, para cima da mesa. Foi de promoção festiva, iniciado com larga reportagem e entrevista na Visão até acabar em grande entrevista com Judite Sousa na RTP. Depois, tivemos o Dia 2, com o protagonismo no encerramento do Túnel do Rossio. Vamos ter, é claro, uma continuação de fartote da mesma carta a sair vezes sem conta de dentro da manga.

A Central de Formatação já mexe. Depois do desnorte incontrolável com a colocação dos professores e o início das aulas, mais a cascata de evidências sobre o plano de controlo da comunicação social e expressão de ideias rebeldes, depois dos desaires nas regionais das ilhas, o recurso ao ministro gestor vem no jeito mais favorável de esquece, passa à frente e muda o disco. António Mexia, mestre em camuflar a sua superficialidade em auditórios controlados e obedientes, usando o jargão modernista de frases feitas da linguagem de tecnocrata resoluto, aparece com o charme conveniente para dar uma imagem de competência, poder de resolução e modernismo liberal. Antigamente, a isto chamava-se “impressionar o burguês” (em francês, como era do bom tom da época), hoje, em linguagem mais comezinha, chamar-se-á “atirar poeira para os olhos”. Dito de uma ou outra forma, temos o populismo na sua evidência camuflada – o circunstancial e o fáctico na boca de cena, enquanto a essência, ela mesmo, vai passando devagarinho em mistura com o charme discreto dos interesses instalados.

Mas se a peça durar tempo suficiente para ter vários actos, ainda nos arriscamos a ter a parte macaca, quando Mexia, cuja ambição há-de perturbar o jogo prolongado de ser braço direito, disser para Santana – saí daí que quero o teu lugar, eu tenho maior cotação no mercado dos capitais políticos. Caso Santana não saiba isto, ele que tenha uma conversinha confidente com Pina Moura - o autor da criatura, aquele que deu o primeiro calor para chocar o ovo da serpente.
Publicado por João Tunes às 18:06
Link do post | Comentar
2 comentários:
De Joo a 26 de Outubro de 2004
Riso arriscado esse. Mais para nós que para o Presidente. Não acha?
De mfc a 25 de Outubro de 2004
Até me ria....
E o Sr. Presidente... não teria nada a dizer?

Comentar post

j.tunes@sapo.pt


. 4 seguidores

Pesquisar neste blog

Maio 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Posts recentes

Nas cavernas da arqueolog...

O eterno Rossellini.

Um esforço desamparado

Pelas entranhas pútridas ...

O hino

Sartre & Beauvoir, Beauvo...

Os últimos anos de Sartre...

Muito talento em obra pós...

Feminismo e livros

Viajando pela agonia do c...

Arquivos

Maio 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Junho 2013

Março 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Junho 2012

Maio 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

Agosto 2004

Julho 2004

Junho 2004

Maio 2004

Abril 2004

Março 2004

Fevereiro 2004

Links:

blogs SAPO