Sábado, 6 de Outubro de 2007

O PARADOXO EDUCACIONAL A 5 DE OUTUBRO

00224ckb

 

O discurso do PR sobre educação, na cerimónia de evocação da proclamação da República, foi uma peça inútil. Dirigir-se “a toda a sociedade” para a resolução dos problemas educativos é falar sem nada dizer. Afinal, um discurso moralista mas oco. A menos que ele conheça uma qualquer mola que se acciona para meter a sociedade em marcha. E, se sim, podia dizer onde está o botão para lá irmos carregar (o tal botão que ele não carregou enquanto foi primeiro-ministro).

 

Mas muito pior que o discurso de Cavaco Silva, inócuo mas bem intencionado, foi a gravíssima frase de comentário de Sócrates do “não confundam professores com sindicatos”, afirmando que está com os primeiros e não com os segundos. E esta declaração é tanto mais insuportável quanto a inoportunidade da data escolhida para a proferir. Porque é prova do mais profundo espírito antidemocrático tentar separar, ou colocar como polos contraditórios, sindicatos e sindicalizados. Poderia dizer que a educação é muito mais que o sindicalismo dos professores. Também podia acrescentar críticas às formas como os sindicatos dos professores resistem à reforma e à modernização do ensino. Até falar da excessiva politização do sindicalismo. Ou falar dos professores sem falar dos sindicatos. Mas nunca da forma como o fez, socavando politicamente um dos aspectos fundamentais do regime democrático, o da livre organização e actividade sindical. Para mais, relativamente a um sector sindical, onde não só a taxa de sindicalização é alta como é das mais plurais em termos político-sindicais.

 

No fundo, o dia presidencial dedicado ao 5 de Outubro foi o dia de um intrincado paradoxo: enquanto Cavaco se dirigiu ao abstrato social (o de “toda a sociedade”, que é tudo e nada), Sócrates quis negar uma das forças activas e organizadas entre as forças sociais. A República não merecia, no seu dia, este acumular de disparates institucionais: do Presidente (o disparate do vácuo) e do chefe do governo (o disparate da negação do que é incómodo).

--------

 

Adenda (7 Outubro): Não é a primeira vez que os jornalistas a soldo do capitalista Belmiro Azevedo deitam o olho a este blogue e decidem transcrevê-lo no pasquim ao serviço de um dos mais ricos membros da classe que se apropria de mais-valias num sistema de exploração que amanhã (quando esta cantar) será varrido pela revolução na história. Pedindo disso desculpa aos leitores, homens e mulheres sem a mácula da colaboração de classes, este post foi parcialmente transcrito no “Público” de hoje. Embora tenha ocorrido sem acordo ou aviso prévio do autor, só resta lamentar a ocorrência, garantindo que o vil assédio ideológico perpetrado pela Sonae não desviará este blogue das justas posições de classe.  

Publicado por João Tunes às 00:07
Link do post
De RN a 7 de Outubro de 2007
Oh pá vinha-te informar que o Público tinha feito propaganda do teu blog (ainda que, é claro, eu tenha percebido muito bem que ao falar no Água Lisa o que o Público está é a tentar credibilizar-se como jornal de referência ;) e vejo esta nota!
Claro que ela é o resultado inevitável de andares sempre a querer criticar o Avante mas... obrigado a lê-lo não conseguiste deixar de sofrer a sua infuência doutrinária, aliás irrecusável.
Bom... não sei se todos os leitores topam a ironia ou o sarcasmo.
Temos que pensar no tal almoço. Esta semana não posso. Talvez para a outra. Faz a lista dos convidados.
Abraço
Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

j.tunes@sapo.pt


. 4 seguidores

Pesquisar neste blog

Maio 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Posts recentes

Nas cavernas da arqueolog...

O eterno Rossellini.

Um esforço desamparado

Pelas entranhas pútridas ...

O hino

Sartre & Beauvoir, Beauvo...

Os últimos anos de Sartre...

Muito talento em obra pós...

Feminismo e livros

Viajando pela agonia do c...

Arquivos

Maio 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Junho 2013

Março 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Junho 2012

Maio 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

Agosto 2004

Julho 2004

Junho 2004

Maio 2004

Abril 2004

Março 2004

Fevereiro 2004

Links:

blogs SAPO