Terça-feira, 2 de Outubro de 2007

MENEZES AMIGO, A ESQUERDA ESTÁ CONTIGO?

0021tg83

 

Menezes dá direito a análises de todos os gostos e para todos os gostos. Como esta, bem original, de Jorge Nascimento Fernandes:

 

Ao contrário da maioria dos comentaristas que se sentem muito incomodados com a vitória de Luís Filipe Menezes, isso não se passa comigo e até acho que dali pode surgir a derrota do PS de Sócrates.
Hoje, do meu ponto de vista, Sócrates e a sua política são altamente perniciosos ao país, pois destroem conscientemente, com o apoio da direita patronal e civilizada, o pequeno Estado Social que, desde o 25 de Abril, se tinha vindo, com avanços e recuos, a construir.
Nesse sentido penso que um líder político que seja capaz de derrotar Sócrates, com um programa que não é mais à direita do que o dele, parece-me positivo. Pelo menos, permitirá, enquanto o pau vai e vem, que a esquerda nos próximos tempos se recomponha, se isso ainda for possível.
Com Marques Mendes o que tínhamos era a continuação da política de Sócrates por outros meios, que ninguém sabia se eram melhores.

Com Menezes, o famoso populista, o que temos é um ataque ao Governo de Sócrates pela esquerda.

 

Salvo o pequeno pormenor de que o PSD do dia seguinte à eleição de Menezes ser já diferente ao do dia pré-eleitoral, com o partido e os interesses a recomporem-se em novas fatiotas políticas à medida dos novos manequins (que são velhos figurões agora repescados ao sossego da naftalina partidária), não faltando muito para que “o partido mais português” volte à sua velha forma e tradicional posicionamento, faltando só o reajuste que não tarda entre “bases” e “barões”, a análise de JNF não está mal vista enquanto esperança no estímulo à “recomposição” da esquerda. Mas não é nada abonatória para a esquerda enquanto esquerda. Se esta estava necessitada do impulso de Menezes para acordar, então é porque o sono era bem pesado a prenunciar doença grave (de preguiça ou de incompetência). E agora ir a correr atrás do arraial populista de Menezes, é que lhe vai fazer bem à saúde?

Publicado por João Tunes às 11:20
Link do post | Comentar
2 comentários:
De Jorge Nascimento Fernandes a 3 de Outubro de 2007
Caro Tunes
Já nos conhecemos há muito e o meu texto, como compreendes, não queria bem afirmar aquilo que me pões a dizer.
1º O sentido principal do meu post, que foi feito como disse logo no seu início ao “correr da pena”, visava alertar para um fenómeno que já se tinha passado no PSD, e que todos estavam a esquecer, que consistia em tentarem derrotar o PS pela esquerda. Isso verificou-se quando Cavaco Silva, em 1985, desencadeou contra o Bloco Central uma campanha bem esquerdizante, tendo por isso ganho as eleições nessa altura.
2º Entendo, pelo motivo exposto, que este discurso à “esquerda”, cheio de populismo e demagogia, pode servir para derrotar o PS de Sócrates e “enquanto o pau vai e vem”, digo eu, pode ser que haja uma recomposição da esquerda. Ou seja, o tempo e as suas derrotas podem dar-lhe juízo. Não estou de modo algum a “correr atrás do arraial populista de Menezes” para que ela tenha juízo.
3º Contra a corrente dominante, que vai de Mário Soares, aos elitistas do PSD: Marcelo, Pacheco Pereira, etc., e toda a “bem pensância” nacional, acho que Menezes com as seus ataques pela esquerda ao PS não é a desgraça que nos querem fazer acreditar. Por outro lado, o populismo de Menezes, pelo menos nestas primeiras declarações, é bem diferente do de Santana Lopes, onde não se vislumbrava uma ideia que fosse. Mas como eu disse no meu post a “procissão ainda vai no adro”.
Um abraço
Jorge Nascimento Fernandes
De João Tunes a 3 de Outubro de 2007
Pois, caro Jorge, conhecemo-nos e não é de ontem. Conheço-te de facto há muito e com estima sempre alta. Por isso, é que me apeteceu este "polemizar" que, para o meu malvado estilo, foi bem benigno. De qualquer forma, os textos de ambos, o teu e o meu, rodam demais à volta dos palpites e das previsões. Deixemos a poeira assentar. Grande abraço.

Comentar post

j.tunes@sapo.pt


. 4 seguidores

Pesquisar neste blog

Maio 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Posts recentes

Nas cavernas da arqueolog...

O eterno Rossellini.

Um esforço desamparado

Pelas entranhas pútridas ...

O hino

Sartre & Beauvoir, Beauvo...

Os últimos anos de Sartre...

Muito talento em obra pós...

Feminismo e livros

Viajando pela agonia do c...

Arquivos

Maio 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Junho 2013

Março 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Junho 2012

Maio 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

Agosto 2004

Julho 2004

Junho 2004

Maio 2004

Abril 2004

Março 2004

Fevereiro 2004

Links:

blogs SAPO