Terça-feira, 4 de Setembro de 2007

A ESTÁTUA E O MAU MALANDRO

001y69b5

 

Pensava eu, em defeito de paternalismo, que a estátua em bronze que foi apeada e roubada na Guiné-Bissau, representando Ulisses Grant, tinha revertido para que alguns populares carenciados daquele infeliz país perdido na desgraça africana arranjassem um cobres para mandioca e ainda se enfeitarem com uma fatiota. Afinal, leio no ”Público” de hoje:

 

“O empresário Alpoim Calvão foi impedido, sexta-feira, de sair da Guiné-Bissau e está sujeito a termo de identidade e residência por alegado envolvimento no desaparecimento de uma estátua na ilha de Bolama, disse ontem à Lusa a Polícia Judiciária guineense.”

(…)

“"As investigações ocorreram na sequência de uma denúncia. Há nacionais e estrangeiros envolvidos, nomeadamente Alpoim Calvão", afirmou um inspector da PJ guineense, acrescentando que a estátua foi encontrada enterrada num buraco.”
”Segundo o inspector, o empresário português já foi ouvido e reconheceu que a sua empresa de sucata comprou uma parte da estátua.”
”Alpoim Calvão, comandante das forças especiais portuguesas na guerra colonial na Guiné, está em Bissau desde 2004 com um projecto de investimento no sector de recolha de sucata e transformação de caju.”

 

O que muda radicalmente o panorama da coisa. A confirmarem-se as suspeitas, trata-se afinal de mero efeito do regresso de um malandro ao lugar da malandrice, lugar com a tradição de séculos de malandrices lusitanas. E que, pelo lido, reporta a um velho-novo e contumaz mau malandro. Alpoim Calvão, antigo comandante de fuzileiros navais na Guiné, tem, nesse aspecto, um currículo invejável. Lá, na Guiné, e cá, entre nós. Foi o dirigente operacional da invasão por Portugal de um país soberano (Guiné-Conacry), a mando de Spínola e Marcello Caetano, em Novembro de 1970. No 25 de Abril, entrincheirou-se na sede da PIDE (constou que estava a preparar-se para substituir Silva Pais na direcção da polícia política). Durante o PREC, chefiou a rede bombista do MDLP spinolista que assassinou a eito pelo país fora. Depois, reconverteu-se em negociante de armamento, chegando a administrador de uma empresa exportadora de explosivos. Voltou à Guiné-Bissau como “empresário”. Onde, tendo em conta o pouco que existe para ser negociável, parece que nem as estátuas por lá plantadas e deixadas lhe escapam. Provando que um mau malandro nunca se reforma e teima em voltar ao local das maiores malandrices. E que, sempre por más razões, nunca cai no esquecimento.

 

Imagem: Alpoim Calvão, quando oficial da Marinha de Guerra, a ser condecorado por Salazar.

Publicado por João Tunes às 11:57
Link do post | Comentar
5 comentários:
De Nossa sra. a 4 de Setembro de 2007
A falar dessa forma .. que vergonha! ponha.se no seu sr canto ..
De João Tunes a 4 de Setembro de 2007
Agora tenho a "Nossa Senhora" a visitar-me! Domina mal o português mas ralha como a de Fátima em 1917. Eu sabia que, mais tarde ou mais cedo, ia ter direito a uma "aparição".

De josé simões a 4 de Setembro de 2007
deus, patria, autoridade. ora aqui a está deus, por interposta pessoa - nossa senhora - a defender a autoridade, também por interposta pessoa - o fascista alpoim. amén!

Comentar post

j.tunes@sapo.pt


. 4 seguidores

Pesquisar neste blog

Maio 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Posts recentes

Nas cavernas da arqueolog...

O eterno Rossellini.

Um esforço desamparado

Pelas entranhas pútridas ...

O hino

Sartre & Beauvoir, Beauvo...

Os últimos anos de Sartre...

Muito talento em obra pós...

Feminismo e livros

Viajando pela agonia do c...

Arquivos

Maio 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Junho 2013

Março 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Junho 2012

Maio 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

Agosto 2004

Julho 2004

Junho 2004

Maio 2004

Abril 2004

Março 2004

Fevereiro 2004

Links:

blogs SAPO