Quinta-feira, 16 de Agosto de 2007

MIGUEL HOJE COMO ZITA ONTEM

001tkhe6001th4hz

 

Volta e meia, sobretudo entre os seus e para os seus, há comunistas que falam claro, fora das máscaras da cifra usada para engano de crentes e confiantes. Sobre democracia e revolução, leia-se Miguel Urbano Rodrigues (nota: o artigo foi publicado hoje):

 

1 - A revolução é uma guerra; e a política, de maneira geral, é comparável à arte militar.
2 - Uma revolução política é também e sobretudo uma revolução social, uma mudança na situação das classes em que a sociedade se divide.
3 - Uma revolução é feita de uma série de batalhas; cabe a um partido de vanguarda fornecer a cada etapa uma palavra de ordem adequada à situação objectiva; é tarefa sua identificar o momento oportuno para a insurreição.
4 - Os grandes problemas da vida dos povos somente podem ser resolvidos pela força.
5 - Os revolucionários não devem renunciar à luta pelas reformas.
6 - Na era das massas, a política começa onde se movimentam milhões de pessoas, ou dezenas de milhões. É necessário além disso promover a deslocação tendencial dos focos da revolução para os países dominados.
Aplicar estas Teses ao mundo actual é um grande desafio para os comunistas.

(…)

Hoje como nas vésperas da Revolução de Outubro de 17, «a questão do poder é certamente a questão mais importante em todas as revoluções».
Afirmar que através do aparelho de Estado, numa sociedade capitalista, é possível efectuar reformas revolucionárias incompatíveis com a lógica do sistema, como a expropriação da terra sem indemnização e outras que limitem concretamente os direitos do capital é enganar o povo. A Revolução Socialista exige a destruição da máquina do Estado capitalista e não apenas o controlo do Governo através de eleições ditas livres.
Hugo Chavéz aprendeu isso na Venezuela bolivariana no decurso de uma luta de classes permanente dramaticamente marcada por sucessivas eleições, um golpe de Estado e um lock out petrolífero que paralisou o país. Uma luta tão intensa e complexa, que, apesar de esmagadoras vitórias eleitorais, a relação de forças existente, interna e externa, não permitiu ainda a destruição do Estado burguês.
Situações como a da Venezuela alertam para uma realidade que muitos intelectuais progressistas tendem a esquecer. É um erro comum acreditar que numa revolução vitoriosa em desenvolvimento a simples relação entre a maioria e a minoria decide do êxito do processo. Na sua critica a Kautsky, Lenine usa palavras duras para qualificar a atitude dos que assumem essa posição, porque ela «engana as massas».

(…)

Lenine definia a revolução como uma festa. Assim a sentiram os trabalhadores portugueses do 25 de Abril de 74 ao 25 de Novembro de 75.
Para o fundador do Estado Soviético foi muito mais agradável «viver a experiência de uma revolução» do que escrever sobre ela.
Não estarei vivo, mas acredito que a festa voltará um dia. Também a Portugal.

 

Se alguém disser que é exactamente assim que se pensa e para isto se trabalha na direcção do PCP, esta dirá que se trata de uma calúnia anticomunista. Mas eles são mesmo assim. Afinal, Miguel Urbano Rodrigues limitou-se a confirmar o essencial do contado por Zita Seabra quando por lá dirigia as massas. Aliás, Miguel e Zita muita coisa teriam de ter em comum - ele veio da militância anticomunista (na primeira fase do seu exílio no Brasil, em pleno fascismo, envolveu-se no combate prioritário ao PCP) para o comunismo dos fanáticos incondicionais [em 80, apoiou a lei marcial de Jaruzelski na Polónia, depois a invasão soviética do Afeganistão, foi sempre um incondicional apoiante da ditadura castrista, é um dos propagandistas das FARC (Colômbia) e aponta Chavez como o redentor da revolução no século XXI]; ela veio do comunismo fanático e desinformado para a direita e a fé em Cristo. Algures, no encontro entre os dois percursos, devem ter construído um idêntico pensamento político. 

Publicado por João Tunes às 23:50
Link do post
Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

j.tunes@sapo.pt


. 4 seguidores

Pesquisar neste blog

Maio 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Posts recentes

Nas cavernas da arqueolog...

O eterno Rossellini.

Um esforço desamparado

Pelas entranhas pútridas ...

O hino

Sartre & Beauvoir, Beauvo...

Os últimos anos de Sartre...

Muito talento em obra pós...

Feminismo e livros

Viajando pela agonia do c...

Arquivos

Maio 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Junho 2013

Março 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Junho 2012

Maio 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

Agosto 2004

Julho 2004

Junho 2004

Maio 2004

Abril 2004

Março 2004

Fevereiro 2004

Links:

blogs SAPO