Quinta-feira, 16 de Agosto de 2007

O “FENÓMENO TORGA”

001tagrc

 

Não há partido que não goste de pendurar, para enfeite, um surtido e sonante lote de artistas e intelectuais. E quanto mais ideológica é a carga que enforma o partido, mais e mais conhecidos artistas e literatos se recrutam para engrossar o vagão atrelado dos “companheiros de jornada”. Eles são considerados excelentes trunfos para “abaixo-assinar” manifestos e petições, decorarem as listas num vigésimo quinto lugar não elegível, serem mandatários e membros de comissões de honra de candidaturas, aparecerem em tempos de antena, abrirem comícios importantes e decorarem “frentes unitárias”.

 

É famosa a eficácia do “comunismo ocidental” que, no século XX, recrutou e inspirou uma gigantesca legião de intelectuais famosos e influentes como paladinos da “ilusão comunista”. No essencial, os intelectuais comunistas ou filocomunistas do mundo capitalista funcionaram como o mais poderoso biombo propagandístico aos crimes do comunismo e ao comunismo enquanto patologia política. Representaram, assim, um trunfo de primeira grandeza entre os sucessos do Komintern (Internacional Comunista, sempre dirigida desde Moscovo). Mais e melhor que o efeito da influência conseguida junto da classe operária e dos sindicatos.

 

Muitos ensaios têm sido dedicados a esta misteriosa atracção dos intelectuais ocidentais pelo comunismo, sobretudo quanto ao caso francês. Mas está por apurar o balanço final da miséria intelectual e política em que tanta gente da “inteligência” cobriu os crimes do comunismo, difundindo-lhe a “ilusão” sob o manto da utopia redentora, enquanto os seus colegas nos regimes incensados penavam sob as cangas do obscurantismo, do servilismo, da repressão e da estupidez. Como entender os extremos do desvario alienado e fanático que enlouqueceu cabeças brilhantes, cultas e criativas, ao ponto de cantarem Estaline quando este liquidava aos milhões com balas na nuca, pelo trabalho forçado ou pelas fomes provocadas, respeitarem a autoridade do analfabetismo tonto de Jdanov quando este lia a cartilha do “realismo socialista” aos “engenheiros de almas” e adorarem Mao quando (ou por isso mesmo) os “guardas vermelhos” liquidavam os intelectuais chineses ou os escorraçavam para os campos para se “regenerarem” através do trabalho braçal? Mas se a “mistificação intelectual” foi de grau incrivelmente monstruoso nas casas capitalistas do comunismo, também as outras correntes partidárias tentaram, embora com muito menor grau de eficácia, atrelar a si artistas, escritores e professores. Não há força partidária que não goste de enfeitar os dedos com anéis do saber e dizer mediatizados.

 

Com a ruína do comunismo internacional, os seus “companheiros de jornada” (os “amigos intelectuais”) foram dos primeiros a engrossar a debandada. Por cá, como exemplo e lendo-se a lista dos subscritores do “manifesto pela liberdade de expressão” (aqui referida), é notório o elevado número de deserções entre os intelectuais portugueses alinháveis nas operações hipócritas e propagandísticas do PCP (compare-se com as listas congéneres dos tempos do fascismo, da revolução e da pós-revolução pré-perestroika).   

 

Mas se, num dos casos, os intelectuais fogem do partido, noutro, espantosamente, é o partido que foge dos intelectuais, incluindo do que melhor lhe serviu de bandeira como seu ícone entre a "intelectualidade socialista". A frieza tecnocrática da gestão da coisa pública como que levou Sócrates a alijar o melhor do património do PS, cobrindo Margaridas e ignorando um escritor e poeta com a dimensão de Miguel Torga. Arrisco-me a baptiza-lo como “fenómeno Torga”. E por aqui me fico, passando a palavra aos socialistas de fé e cartão. Arnaut já falou. Faltam outros, os muitos muito calados.

Publicado por João Tunes às 00:40
Link do post | Comentar
5 comentários:
De cfreitas a 16 de Agosto de 2007
Que intelectuais existem hoje no P.S.? Olhe que não consigo encher os dedos das duas mãos!
De João Tunes a 16 de Agosto de 2007
Concordo. Mais uma razão para tratarem bem os que restam e os pertencem ao património.
De Maria Clara martins a 16 de Agosto de 2007
Você está enganado, devia estar mais atento ao que se faz no M. da Cultura, que tem dedicado bastante espaço a Torga. E também conhece muito mal Sócrates e, pelos vistos, também conhece mal os intelectuais do PS.
De paulo santiago a 16 de Agosto de 2007
O Min.da Cultura,espaço,espaço deu ao Berardo...ao
Torga,nada consta.
De João Tunes a 16 de Agosto de 2007
Dou-lhe o benefício de admitir que vc tenha toda a razão. Sobre o que se faz no Ministério da Cultura pouco sei, nomeadamente quanto ao que se passa no Museu de Arte Antiga. Sobre Sócrates nem falar e se calhar o pior dele ainda está para se revelar. Quanto aos intelectuais do PS nem sequer sabia que havia disso pois não os tenho visto aparecer contra a forma como o governo e o PS estão a alijar o património socialista de luta pelas liberdades. Relativamente a Torga e à comemoração do seu centenário em Coimbra, provavelmente a ministra até lá esteve e ninguém a viu, nem o vosso "companheiro de jornada" Vital Moreira que, no "Causa Nossa", deu, a propósito (o que lhe é raro), uma alfinetada no governo. Disse que "estou enganado" e, mais uma vez, tem razão. Pelo menos, enganei-me no voto que, nas últimas eleições legislativas, dei ao PS e a Sócrates. Mas esse engano não tem remédio pois o voto não é remissível, restando desenganar-me em 2009. E a sua pesporrência autista e seguidista muito me esclareceu. Obrigado.

Comentar post

j.tunes@sapo.pt


. 4 seguidores

Pesquisar neste blog

Maio 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Posts recentes

Nas cavernas da arqueolog...

O eterno Rossellini.

Um esforço desamparado

Pelas entranhas pútridas ...

O hino

Sartre & Beauvoir, Beauvo...

Os últimos anos de Sartre...

Muito talento em obra pós...

Feminismo e livros

Viajando pela agonia do c...

Arquivos

Maio 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Junho 2013

Março 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Junho 2012

Maio 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

Agosto 2004

Julho 2004

Junho 2004

Maio 2004

Abril 2004

Março 2004

Fevereiro 2004

Links:

blogs SAPO