Segunda-feira, 26 de Dezembro de 2005

E se, de repente, a lâmpada se acendesse?

capt.cub10312240448.cuba_parliament_cub103[1].jpg

Poderia ser um excelente sinal simbólico de que uma boa e inspirada ideia tinha saído da cabeça do “Coma Andante”. Por exemplo, permitir a liberdade de expressão e o pluralismo político para os cubanos.
Publicado por João Tunes às 16:56
Link do post | Comentar | Ver comentários (7)

MANDE AS VESTES PARA A ENGOMADEIRA, SENHOR BISPO

teodoro.JPG

Ao Funchal, entre outras desgraças e muitas formosuras, calhou-lhe ter um Bispo estúpido. E chamo estúpido ao D. Teodoro de Faria, para não dizer da Eminência Reverendíssima que, pior que estúpido, é um meio demagogo com outro tanto de charlatão.

Muitos devem ser os afazeres de D. Teodoro. Só a engomar as suas tantas e tamanhas vestes mais a catrefa de paramentos, muito do tempo de ler e saber o que vai no mundo, deve ir-se embora. Pois se o D. Teodoro não gastasse tanto tempo a engomar, engomando-se, saberia que ninguém defende a abolição do uso público e privado de símbolos religiosos. Nesse aspecto, usem-nos e abusem-nos. O que se trata é da não imposição dos símbolos de uma religião (da do D. Teodoro ou de outra) em associação oficialista com o Estado, que é, constitucionalmente, laico.

E essa das chagas na bandeira como piada, está gasta, senhor bispo engomadeiro. Antes de si (e preceder um Bispo no seu pensamento e homilia não é desprimor para as sotainas?), já uma legião de comentadores e bloggers clericais, semi-clericais e vigésimo-clericais, badalaram a mesma anedota.
Publicado por João Tunes às 16:41
Link do post | Comentar

DA INTELIGÊNCIA NA SUSCEPTIBILIDADE

escrit.JPG

suceptibilidades rigoristas que arrepiam. Não porque não sejam justas nem bem esgalhadas. [No caso, é um excelente texto] Mas, apenas, por sentir que é golpe de bisturi no tosco do uso da liberdade metafórica e que, muitas vezes (parece-me que será o caso de Lobo Antunes), não é mais que uivo bruto para com dores agarradas na pele, na sua pele. Mais que esguicho de machista. Pelo menos, de machista estúpido. Porque o machista que o sabe e o quer ser, que é o mais estúpido dos machistas, apalpa pela surra e quando a luz se acende finge que foi buscar mais um copo de cognac. Preferindo, sempre, aparecer junto dos outros como bêbado, nunca como enamorado, sabendo, de ciência feita, que o enamoramento é a morte do machista.

Direi, para disfarçar e por defesa espúria da honra de Lobo Antunes, que “esquecer um blogue inteligente custa um número incalculável de blogues estúpidos”. E eu, exactamente por isso, nunca me esqueço de ler o Lida Insana.
Publicado por João Tunes às 16:00
Link do post | Comentar | Ver comentários (3)

MSN de Natal 2005 (Prémio: a mais inspirada)

capt.e122506a[1].jpg

“Se forem Boas, que sejam Festas.”
Publicado por João Tunes às 15:15
Link do post | Comentar | Ver comentários (1)
Sábado, 24 de Dezembro de 2005

MSN de Natal 2005 (Prémio: a mais frequente)

mobile.JPG

"Um Natal Alegre".
Publicado por João Tunes às 16:05
Link do post | Comentar | Ver comentários (1)
Sexta-feira, 23 de Dezembro de 2005

EGO-UTOPIA DE NATAL

capt.sge.irq06.261105003327.photo00.photo.default-280x369[1].jpg

Sempre me fascinaram as estações ferroviárias. Gosto de andar de comboio mas prefiro o movimento, o mistério e o sortilégio das estações. Sobretudo, perder-me numa delas. Qualquer. E muito mais não digo sobre isso porque está tudo mais que dito. Seria demasiado banal. Eu sei, sondagem minha, que 90% partilha esta querença.

Se a família não se ofendesse, murchando a festa, e para isso a coragem fenece, zarpava da consoada e ia perder-me numa estação a ver chegar e partir comboios. Ou metia-me dentro de um, a ver-me partir ou chegar. E oferecia-me um natal egoísta, unipessoal, só cá para mim - eu e o menino jesus, que não é pessoa mas símbolo plástico, a discutirmos, por exemplo, as presidenciais que, como se sabe, não têm nada para discutir. Afinal, o único natal que me falta na colecção - um natal sem tradição nem convenção. Porque dos outros, com os outros, mais os outros, conforme os outros, desses já tenho a caixa do peditório a deitar por fora.

--------------

[Como dizem no cinema a fazer-se filme e quando a cena corre mal e tem de ser repetida: Corta!]

---------------

Voltando à caixa do peditório correcto (mas sincero): Bom Natal a todos os visitantes!
Publicado por João Tunes às 16:22
Link do post | Comentar | Ver comentários (5)

Solução para comer a sopa toda...

capt.u122111au[1].jpg

Olhem-no bem nos olhos e nas comissuras dos lábios. A um Pai Natal destes, haverá algum menino ou alguma menina que hesite entre pedir um brinquedo ou desatar logo a comer a sopa?
Publicado por João Tunes às 16:03
Link do post | Comentar

É pá, vê lá bem os arquivos do Colégio do Santo Ofício...

capt.sge.mbo32.081205004543.photo00.photo.default-380x276[1].jpg

”no que respeita aos apoiantes antifascistas da candidatura de Manuel Alegre, ele, também, resistente, ele, também, tendo dedicado os seus últimos trinta anos de actividade política ao apoio e à defesa da mesma política de direita defendida e praticada por Cavaco e Soares – pelo que não hão-de ser muitos, entre os seus apoiantes antifascistas, os que complementam a sua actividade contra a ditadura com uma intervenção coerente na defesa de Abril e das suas conquistas”

... e será que me safo do Index entre os “não hão-de ser muitos”?
Publicado por João Tunes às 15:02
Link do post | Comentar | Ver comentários (1)

QUE O PAI NATAL O OIÇA, Ó "DIREITINHA"

DESERTO.jpg

”Quer-se-me parecer que grassa algum desânimo nas hostes "alegristas". Devo dizer que não partilho desse desânimo e que mantenho confiança em que:
a) vai haver segunda volta;
b) o Alegre vai ter mais votos que o Soares na primeira volta.”


Em retribuição laica, caro “direitinha” Alonso: Boas Festas para si!
Publicado por João Tunes às 00:25
Link do post | Comentar | Ver comentários (3)
Quinta-feira, 22 de Dezembro de 2005

DO BEM E DO MAL

capt.nyr10512132337.pixar_exhibit_nyr105[1].jpg

Disse o Profeta Pré-Presidencial:

”Num curto discurso aos cerca de oitenta representantes das comunidades religiosas, Bahai, Fundação Aga Khan, Hindú, Islâmica, Ismaelita, Israelita, Ortodoxa Grega e Protestante com quem almoçou, o candidato apoiado pelo PSD e pelo CDS-PP falou no «diálogo entre as religiões do bem», embora sem definir quais serão as religiões do mal.”

Talvez, se Cavaco olhar para o seu séquito, para aqueles que sustentam e alimentam a sua candidatura, encontre grande parte dos sacerdotes da “religião do mal” – os banqueiros gananciosos, agiotas, e dos lucros que disparam arriba quando o cinto aperta; os ansiosos pelos despedimentos sem lei nem roque; os das gestões empresariais em que o pagamento aos que trabalham é um “custo”; os dos ferraris e dos salários por pagar ou para minguar.

Ele, Cavaco, piedoso crente, podia bem ter dito para a sua plateia eucuménica: “Continuem com as religiões do bem que, para a do mal, estou cá eu e recomendo-me, até como seu Profeta!”
Publicado por João Tunes às 23:38
Link do post | Comentar

GASTOS DE UM POLÍTICO “AMADOR” E “SEM PARTIDOS”

scultura550x311.jpg

”A candidatura do ex-primeiro-ministro Cavaco Silva foi a que apresentou o orçamento maior, que ronda o limite máximo de gastos permitido por lei: 10 mil salários mínimos, ou seja, 3.747 mil euros.”

Comentário único: o tipo é mesmo rico!
Publicado por João Tunes às 23:17
Link do post | Comentar

TRISTEZA NATALÍCIA

liver.JPG

Sei que podia ser pior. Muito pior. O que não quer dizer nada, pois cada um sabe de si. Mas não pode ter um bom natal quem, como eu, religioso e cumpridor dos deveres de culto, missa, penitência, jejum, confissão, comunhão, procissão, novena e terço, não conseguiu arranjar um bilhetinho para ver esta british-gajada apanhar no coco lá para Fevereiro do ano que há-de vir, ali, na minha catedral. Por isso, agradeço que parem, os festeiros e as festeiras, os amigos e as amigas, os conhecidos também, mais os faz de conta porque amigos-somos-todos-sobretudo-no-natal, de me desejarem um bom e santo natal. Não aguento mais. Por favor, respeitem-me as dores. No mínimo, as dores natalícias. Haja respeito. Sei do que falo: há raivas que só passam na solidão dos infelizes. Sejam vossas mercês felizes, eu cá me atamanco. Dorido, mas sim. Foda-se!
Publicado por João Tunes às 22:33
Link do post | Comentar | Ver comentários (1)

É NATAL

Damas.gif

Vulgar é que os corações se derretam de humanidade (muitas vezes, enfeitada de caridade) nesta época. Lembram-se os pobres e desvalidos, os homens, as mulheres e as crianças sem teto, sem roupa, sem brinquedos e sem pão. Grande parte de nós outros que temos as mesas cheias demais, nunca conseguindo comer tudo que metemos em cima da mesa, tanto que até enjoamos a comida e a bebida, que nos juntamos aos magotes familiares, trocamos prendas e ficamos mais ternos uns com os outros, sentimo-nos mal com este excesso de pico de abastança e de calor humano, costumamos pensar, em flagelação à consciência (à boa), nos (felizmente para o nossos sossego – anónimos) que estão fora de nossas portas, ao frio e na míngua. Então, esmolamos, ajudamos a um “natal melhor”. O natal é, assim, o melhor de nós e o pior da representação hipócrita deste cristianismo de barriga cheia e caridade a escorrer uns pingos do bolso.

Não sou mais nem melhor que os outros. Alinho na parada, pelo menos para evitar o incómodo de destoar. E se tantos dão bacalhau aos “pobrezinhos”, umas roupinhas - que já não usamos - às “criancinhas”, mais umas esmolinhas para as consoadas desvalidas, permita-se que me lembre de carenciados de outras carências. Tendo o atrevimento de achar que o bem maior, aquele que pode ajudar a compor barrigas com dignidade e com futuro, é a liberdade, onde quer que ela não se respire. E que, repartindo tarefas na solidariedade, fique com o modesto quinhão de pensar nos oprimidos, nos carentes da liberdade de deitarem a alma para fora, exprimirem-se sobre o que acham bem e acham mal.

Escolho, para este natal, pensar nas “Damas de Blanco” da distante Cuba, submetida a uma terrível “ditadura tropical”. Esse grupo de mulheres cubanas, esposas, mães, filhas, irmãs, de prisioneiros de consciência, dos 75 dissidentes aprisionados (um punhado deles, foi entretanto remetido ao exílio), por pensarem e dizerem diferente, desde a primavera de 2003. A quem o Parlamento Europeu atribuiu, este ano, o “Prémio Sakharov” da luta pela Liberdade de Consciência. Mandando abraços calorosos a Laura Pollán (esposa de Héctor Maseda), Miriam Leiva, (esposa de Osear Espinosa Chepe), Berta Soler (esposa de Ángel Moya), Loyda Valdês (esposa de Alfredo Felipe Fuentes) e Julia Núftez (esposa de Adolfo Fernández Saínz), as cinco familiares dos presos políticos cubanos que foram mandatadas para este mês se deslocarem a Estrasburgo para receberem o prémio das mãos do Presidente do Parlamento Europeu e a quem a ditadura castrista recusou visto de saída de Cuba. Aprisionam-lhes os familiares, impedem-nas de saírem de Cuba, mas não conseguem proibir o Prémio e o seu significado (ele foi recebido, em nome das “Damas de Blanco” por uma sua membro fundadora – Blanca Reys, mulher de Raul Rivero, jornalista e poeta a quem Fidel deixou que trocasse a prisão pelo exilo em Espanha). Nem a solidariedade daqueles que, respirando a liberdade, usando-a, acham que este bem precioso não é privilégio de alguns países e povos, sendo, devendo ser, um bem universal e fundamental. Como o bacalhau, as roupinhas, os brinquedos e a esmola para os desvalidos de bens materiais.
Publicado por João Tunes às 18:45
Link do post | Comentar

DO ACADÉMICO QUE, QUANDO JOVEM, FOI MILICIANO

Guine_Fa_JorgeCabral_Bajudas[1].jpg

Do mesmo honorável académico (Prof. Jorge Cabral) aqui referido (na entrevista sobre a mutilação genital feminina), transcrevo daqui, este naco das suas memórias eróticas de ex-combatente na Guiné-Bissau:

“Bissaque era uma aprazível aldeia balanta. Logo nessa noite, à volta de uma fogueira, reparei na beleza das raparigas, tendo passado a frequentar semanalmente a Tabanca, numa acção sócio-erótica, a qual consistia numa "esfregação" mamária às belíssimas bajudas. Habituado às bajudas mandingas, verifiquei experimentalmente a superioridade dos seios balantas, tendo, e disso me penitencio, contribuído para um conflito étnico-mamário.” (*)

”Afim de me redimir, em Janeiro de 1970, de férias em Lisboa, comprei 35 "corpinhos" (soutiens) no armazém Fama, sito à Calçada do García, junto ao Rossio, onde agora se reúnem os guineenses. Coincidência?”

”Premonição? Lembro a perplexidade do empregado do armazém, quando lhe pedi os 35 soutiens de todos os tamanhos e cores.”

”Regressado à Guiné, em plena Tabanca de Fá Mandinga, organizei a festa do corpinho, para a alegria das bajudas, que envergaram o seu primeiro soutien.”

”Tivesse esta história acontecido nos dias de hoje, e certamente sentiria dificuldades no aeroporto, até porque os soutiens constituíam a minha única bagagem. Armas secretas? Indícios de terrorismo? Não sei mesmo, se não teria ido parar a Guantanamo.”


(*) Diga-se que a etnia balanta (como a manjaca e outras), animistas, diferentemente da etnia mandinga que é islamizada (como a fula), não pratica a "mutilação genital feminina" (na Guiné designada como "fanado").

Imagem: O Prof. Jorge Cabral quando bem acompanhado e jovem, na guerra colonial na Guiné-Bissau (1969/1971).
Publicado por João Tunes às 16:56
Link do post | Comentar

AINDA MAIS TRANSVERSAL?

capt.sge.mky82.091205000132.photo00.photo.default-380x272[1].jpg

”Agora diz-me: o que motiva um monárquico de gema - como o meu pai - passar uma tarde inteira a telefonar para outros monárquicos a tentar convencê-los a votar no Manuel Alegre? O interessante na atitude do meu pai é que ele passou da "simpatia pelo Manuel Alegre" para uma "quase militância".
Publicado por João Tunes às 15:59
Link do post | Comentar | Ver comentários (3)

j.tunes@sapo.pt


. 4 seguidores

Pesquisar neste blog

Maio 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Posts recentes

Nas cavernas da arqueolog...

O eterno Rossellini.

Um esforço desamparado

Pelas entranhas pútridas ...

O hino

Sartre & Beauvoir, Beauvo...

Os últimos anos de Sartre...

Muito talento em obra pós...

Feminismo e livros

Viajando pela agonia do c...

Arquivos

Maio 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Junho 2013

Março 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Junho 2012

Maio 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

Agosto 2004

Julho 2004

Junho 2004

Maio 2004

Abril 2004

Março 2004

Fevereiro 2004

Links:

blogs SAPO