Terça-feira, 8 de Junho de 2010

Cuidado com as imitações (das utopias)

 

Para quem usa e até para quem abusa da liberdade e até da impunidade da blogosfera, muitas vezes para subestimar ou ridicularizar as “liberdadezinhas” que a democracia sem os punhos do poder musculado dos operários e dos camponeses no poder nos concedem, difícil é imaginar o que representa o acesso à internet controlado por ditaduras, obscuras ou iluminadas. Mas decerto não gostariam de ser internautas, bloggers intervenientes muito menos, no Irão, na Bielorússia, na China, em Cuba ou na Coreia do Norte. Ou se fartavam depressa pelos acessos interditos ou acordariam com uma palmada a servir de aperitivo para o castigo pelo abuso navegador. A menos que integrassem os serviços de segurança e vigilância locais, missão que requer bons estômagos e fracos escrúpulos, características só próprias de alguns, os paranóicos adeptos da razão violenta.

Yoani Sánchez, a blogger mais conhecida da diferença cubana, é um caso especial e julgo que único, uma espécie de Anne Frank dos tempos cibernéticos. Não é uma programática nem uma ideóloga, apenas regista o quotidiano cubano e narra os conflitos entre a sua lucidez e a sua sede de liberdade com a ordem totalitária que encarcera o seu povo. Num conflito tanto mais exasperante porque tem pela frente a opressão poderosa e absoluta dos que reprimem em nome de uma das mais belas utopias criadas pelos homens, a da fraternidade-igualdade. Como Yoani diz, com amargura mas sem cinismo:
“Vivo numa utopia que não é a minha. Por ela se sacrificaram os meus avós e os meus pais renunciaram aos melhores anos da sua vida. Carrego-a às costas sem poder aliviar-me do seu peso.”
“Alguns que não a conhecem tentam convencer-me de que devo preservá-la, mas não sabem quão alienante é carregar o peso de sonhos alheios e viver uma ilusão que me é estranha.”
“A quantos me impuseram – sem me consultar – esta falsa quimera, quero dizer, desde já, que não tenciono deixá-la em herança aos meus filhos.”


Impedida de sair de Cuba, sem acesso sequer a visualizar o seu blogue, isolada, vigiada de perto e controlados todos os seus passos, constantemente ameaçada, várias vezes maltratada fisicamente, caluniada por uns e outros (uns acusam-na de ser paga pela CIA e por Miami, outros espalham o boato de que é uma agente dos serviços policiais cubanos usada para “penetrar” a dissidência cubana), o espantoso é a resistência desta jovem e teimosa cubana. Que bloga e não pára de blogar. Fazendo uma ponte entre a realidade claustrofóbica do interior quotidiano de uma ditadura e o mundo. Permitindo a quem está por fora, espreitar para dentro do íntimo da ditadura, sentir-lhe o sufoco, a opressão e o cinismo colectivo necessário para um povo (sobre)viver entre a celebração dos donos do poder, a penúria e a repressão, sempre em nome da utopia mais bonita.

Merece leitura atenta e despreconceituada a recente edição portuguesa do livro com os seus textos publicados no “Generación Y” (*). Confirmando que “há sempre alguém que resiste, há sempre alguém que diz não”. Mesmo na ditadura “mais triste” (que cobre, paradoxalmente, um dos povos mais alegres).

(*) – “Cuba Livre”, Yoani Sánchez, Edições Casa das Letras.

(publicado também aqui)

Publicado por João Tunes às 16:35
Link do post | Comentar

j.tunes@sapo.pt


. 4 seguidores

Pesquisar neste blog

Maio 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Posts recentes

Nas cavernas da arqueolog...

O eterno Rossellini.

Um esforço desamparado

Pelas entranhas pútridas ...

O hino

Sartre & Beauvoir, Beauvo...

Os últimos anos de Sartre...

Muito talento em obra pós...

Feminismo e livros

Viajando pela agonia do c...

Arquivos

Maio 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Junho 2013

Março 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Junho 2012

Maio 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

Agosto 2004

Julho 2004

Junho 2004

Maio 2004

Abril 2004

Março 2004

Fevereiro 2004

Links:

blogs SAPO