Terça-feira, 21 de Março de 2006

CIBER-ASSÉDIO

Eu gosto de passar discreto entre quem não me conhece e ser bazófia com quem em mim confia e me dá crédito mais desconto na paciência. É a modos que uma espécie de sinergia sócio-existencial. Com receita cá da casa.

 

Amofinam-me as intromissões impantes dos alheios e nos alheios. Só abuso com quem tenho a certeza que não chama a polícia por crime de desacato nem telefona para o manicómio para recolherem um faltoso à solta. O que não é nada mau para quem passou a primeira metade da vida a acrescentar a circunstância de ter de falar pianinho por causa dos bufos que ensinavam os caminhos para Caxias.

 

Se me chateia quem não deve, eu calo. Tenho, então, uma paciência de santo. Mas sei medir e conter quando abuso de paciência outra. Não gosto de insistentes, não sou insistente. Ou seja, de reformista não passo.

 

Agora ando lixado com o meu e-mail. Todos os dias, recebo três propostas para esticar o pénis, duas para aumentar o vigor sexual através de pastilhas, quatro para deixar de fumar, uma para ganhar dinheiro sem sair de casa, vinte para investir as economias (que não tenho) e ser milionário numa semana, mais dez para pagar umas massas a promover o meu blogue e torná-lo apresentável e famoso, mais um ou dois que me enviam o endereço do seu blogue para eu o linkar. E aqui, a minha experiência social de gerir as conveniências expostas, exaure-se num segundo. Apagar a “e-mail gajada”, eu apago, mas não tardam no regresso. Quem me ajuda? Pelo menos, digam-me que esta cambada de doentes cibernautas não se metem só comigo. Ou seja, não sou o único a ser famoso por ter a picha curta, ter falta de tesão, ser fumador terminal, estar à espera de uma herança de uma tia falecida há quarenta anos e sem cheta, desejar ter um blogue famoso e ser albergue para ineptos com ânsias de fama.

 

Publicado por João Tunes às 17:00
Link do post | Comentar
6 comentários:
De ana a 21 de Março de 2006
Isso era o que o João queria: ter exclusividade desse tipo de e_mails.
Aqui onde eu trabalho, já rimos vezes sem conta, por causa dessas propostas. Chegam por igual a homens e mulheres.
Eu não tenho nada para alongar ou encurtar; o que tenho me serve aos fins previstos e recebo propostas iguais às que menciona...
De M. Conceição a 21 de Março de 2006
É o que dá ser famoso. A mim, ninguém me oferece nada. Dessas que vos queixais, claro!
De João Tunes a 21 de Março de 2006
Experimente abrir uma conta de e-mail e verá... Mas deixe estar, a gajada o "spam" há-de descobri-la! Beijo casto e se me dá licença.
De Eugénio Costa Almeida a 21 de Março de 2006
... e já agora receber um e-mail do TSE Tribunal Superior Eleitoral a suspender o meu título eleitoral (ah! isto vem de Brasília) ou um do Serviço de Protecção ao Crédito a avisar que estou em dívida - Dêbito Pendente - de cerca de 23.400 Reais (e este é de Bahia). E eu que, infelizmente, nunca fui ao Brasil.
Pelos vistos estou a ganhar um pouco mais porque dos outros já perdi a conta.
Um abraço
Eugénio Almeida
De Eugénio Costa Almeida a 21 de Março de 2006
uma pequena rectificação: 3.400 reais. Não quero também exagerar.
Kandando
EA
De Carlos a 22 de Março de 2006
Cá eu recebo os tais da picha curta, mais uns do Viagra (mascarado de 'Vaigra'), propostas para 'sex-cam', e também já houve altura (recente) em que recebi os tais do Tribunal Eleitoral. Lixo, e vai pró sítio. Eles voltam, sempre. E faço-lhes o mesmo, sempre. Tornou-se uma rotina. Ah! e já estava a esquecer-me do herdeiro do Savimbi que tem 20 milhões de dólares em diamantes para dividir comigo, mas a malta da Nigéria que têm não sei quantos milhões para me darem. E eu aqui, teso, literalmente, recebo destas contradições: ou me querem aumentar a tesura em não sei quantas 'inches', ou tirar-ma com um ror de milhões, dados. Que fazer? aceitar as promessas de perfomances épicas ou o vil metal? ando indeciso, é o que é...

Comentar post

j.tunes@sapo.pt


. 4 seguidores

Pesquisar neste blog

Maio 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Posts recentes

Nas cavernas da arqueolog...

O eterno Rossellini.

Um esforço desamparado

Pelas entranhas pútridas ...

O hino

Sartre & Beauvoir, Beauvo...

Os últimos anos de Sartre...

Muito talento em obra pós...

Feminismo e livros

Viajando pela agonia do c...

Arquivos

Maio 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Junho 2013

Março 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Junho 2012

Maio 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

Agosto 2004

Julho 2004

Junho 2004

Maio 2004

Abril 2004

Março 2004

Fevereiro 2004

Links:

blogs SAPO