Quinta-feira, 25 de Junho de 2009

Porcaria católica apostólica romana

 

Segundo os cálculos do Vaticano, 4% dos sacerdotes católicos (20.000) são criminosos pedófilos. Limpem as mãos à parede com essas da castidade e do celibato.

 

Publicado por João Tunes às 22:54
Link do post | Comentar
3 comentários:
De Van Aerts a 26 de Junho de 2009 às 00:57
Viva, a minha opiniao é a seguinte: nao creio que o facto de existir no futuro a possibilidade de os clérigos poderem contraír matrimónio influa sobre os abusos e violaçoes de crianças no seio da igreja. Enfim, nao será descabelado pensar que pela castidade inerente ao próprio ofício nao se possam desenvolver ou criar "traumas", mas nao me parece que a castidade conduza a isso, pois um celibatário (nao clérigo) nào é um potencial pervertido e ao sacerdócio acede-se livremente com a possibilidade de renúncia futura e ao entrar convenhamos "que se conhecem as regras" e a doutrina da igreja é clara sobre essa matéria.

Sobre a classificaçao dada aos autores de abusos/violaçoes qualquer indivíduo decente pensará o mesmo, no entanto estes 4% que a peça refere nao prevalecem sobre a restante percentagem no meu entendimento e porquê? Veja Joao Tunes como exemplo, justamente hoje a cáritas em Espanha divulgou os seus números e referiu que atendeu um total de quase 600.000 pessoas no curso do ano de 2008 e isto nao significa a "caridadezinha" pois resulta em muitos casos a assistência imediata para situaçoes urgentes, desde desempregados, a mulheres sós com filhos, etc... é por isso que sem negar a revoltante realidade dos 4% entendo que também devo realçar o que resta.

De Van Aerts a 26 de Junho de 2009 às 00:58
P.S. Un saludo
De João Tunes a 26 de Junho de 2009 às 14:42
Pois claro, a Igreja tem mais faces, algumas muito úteis, nomeadamente a de prozac das inquietações e desesperos. Além de outras boas acções. Inegável.

Quanto à castidade e celibato dos sacerdotes, é verdade que é um contrato voluntariamente celebrado entre a Igreja e os ordenados. Só que levanta três questões: 1) selecciona "eleitos" (os disponíveis para essas renúncias) e é duvidoso que os "seleccionados" sejam melhores que os que ficam de fora, nomeadamente os que têm uma visão saudável da vida, em que a vocação religiosa e o sentido de missão se conciliam e potenciam com a partilha do prazer (e o prazer sexual, livremente realizado, é o must dos prazeres) e a partilha de uma família construída; 2) é, intrinsecamente, um risco de aposta aceitar que são boas escolhas e escolhas garantidas, do ponto de vista de sanidade moral, social e ética, entregar rebanhos a pastores que, em idade de homens jovens, se prometem a si mesmo a flagelação da abdicação do prazer e da responsabilidade familiar; 3) o problema não estará, pelo menos ao nível da sinceridade, no "momento do contrato da ordenação", pois na altura é teoria antes da prática, mas antes quando a dinâmica dos apelos sexuais se acumulam (e avolumam a braguilha) ao mesmo tempo que se consolida o exercício do poder religioso (que tem o terrível peso da impunidade prevista porque insuspeita sendo vinda de "um homem santo"), então as pulsões de parafilias, como a pedofilia, um crime de abuso de poder, horrível sendo perpetrado sobre crianças confiadas, é um recurso recorrente de cobardia pelo apelo da violação sem castigo de um compromisso sexual assumido mas não suportável.

Obviamente, pode-se ser casto e/ou celibatário, sem se ser pedófilo. Há casos desses consumados dentro da Igreja e fora dela, pois a sexualidade não segue cartilha. O problema é outro, é o da liberdade. De cada um e dos outros.

Saludo.

Comentar post

j.tunes@sapo.pt


. 4 seguidores

Pesquisar neste blog

Maio 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Posts recentes

Nas cavernas da arqueolog...

O eterno Rossellini.

Um esforço desamparado

Pelas entranhas pútridas ...

O hino

Sartre & Beauvoir, Beauvo...

Os últimos anos de Sartre...

Muito talento em obra pós...

Feminismo e livros

Viajando pela agonia do c...

Arquivos

Maio 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Junho 2013

Março 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Junho 2012

Maio 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

Agosto 2004

Julho 2004

Junho 2004

Maio 2004

Abril 2004

Março 2004

Fevereiro 2004

Links:

blogs SAPO