Sexta-feira, 8 de Dezembro de 2006

JUSTICIALISMO NATALÍCIO?

000rays4

Não sei como nem porquê, desatou meio mundo mais um naco (alinhando pelas sondagens) a bradar que o governo socrático é mesmo de esquerda, esquerda boa, pelo feito sonoro do acordo pluriclassista e plurianual para o aumento progressivo do salário mínimo.

 

Reconheço que os trunfos favoráveis são de peso. Primeiro que tudo, a medida impunha-se (e o que se impõe tem a importância lógica da imposição). Segundo, foi obra tirar a CGTP da algazarra das manif no frio da rua para a humilhação de misturarem a assinatura com as do patronato mais reaccionário e no ar aquecido dos gabinetes. Terceiro, conseguiram entupir o discurso do Jerónimo e levá-lo a ter de proximamente convocar nova reunião do Neo-Komintern para explicar a pureza leninista deste “passo atrás”. Quarto e quinto, deixaram felizes ou quedos Cavaco e a oposição à direita do centro e da esquerda (mais a Primeira Dama que, na “Visão”, nos surpreendeu com a espantosa revelação de que é mulher do centro-esquerda e só depois de apodrecer as suas verduras de juventude em que andou pelo esquerdismo moderado).

 

Mas o que é que, além das reacções e do resultante arco do consenso, define e autentica a subida do salário mínimo como uma medida identitária de um projecto de esquerda? Respondendo às zonas mais carenciadas dos TCO, pesando muito em número mas pouco em dinâmica e em poder de impulso, esta medida “social-justicialista” altera significativamente a questão da disparidade da repartição de rendimentos e a erosão dos picos maiores dos seus extremos, a reformulação das dinâmicas empresariais, a questão central dos poderes nas empresas, a precariedade galopante e institucionalizada do emprego e sub-emprego, a revitalização da economia, a expulsão do mercado do trabalho aos 40-50 anos de idade, a competitividade, a incorporação de tecnologia e o problema-charneira da transferência do político para o económico e do económico para o financeiro? Ora!

 

Como forma populista de calar populismos, não está mal. Bem até estará, se houver lembrança que os aumentos programados não compensam, ou limitam-se a compensar, os aumentos dos encargos com as necessidades básicas decorrentes do impacto das medidas de austeridade orçamental (nos cuidados de saúde, de educação), das despesas de transportes, dos aumentos dos juros nos empréstimos, mais outras que castigam, e vão continuar a castigar, as faixas abrangidas pelo salário mínimo. Sobretudo estas. Mas a esquerda já fica feliz com o ajuste na malha do filtro das migalhas? Então bolas, que, assim, tudo é de esquerda. Ou seja, a esquerda é tudo porque é pouco.

Publicado por João Tunes às 00:12
Link do post | Comentar
2 comentários:
De Paulo Santiago a 8 de Dezembro de 2006
João
O Correia de Campos,precisava deste aumento do Salário Mínimo,para pagamento das taxas moderadoras.O Zé está lixado e ainda não viu.
Abraço
Paulo

Comentar post

j.tunes@sapo.pt


. 4 seguidores

Pesquisar neste blog

Maio 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Posts recentes

Nas cavernas da arqueolog...

O eterno Rossellini.

Um esforço desamparado

Pelas entranhas pútridas ...

O hino

Sartre & Beauvoir, Beauvo...

Os últimos anos de Sartre...

Muito talento em obra pós...

Feminismo e livros

Viajando pela agonia do c...

Arquivos

Maio 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Junho 2013

Março 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Junho 2012

Maio 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

Agosto 2004

Julho 2004

Junho 2004

Maio 2004

Abril 2004

Março 2004

Fevereiro 2004

Links:

blogs SAPO