Segunda-feira, 11 de Maio de 2009

O GRANDE BEIJO HETERO MAS ORTO(DOXO)

 

A RDA, se sobreviva, faria 60 anos. Mas faleceu aos 40, por dores intestinais. Ficou a memória do beijo que lhe deu vida enquanto viveu.
Publicado por João Tunes às 15:56
Link do post
De joana freitas a 13 de Maio de 2009

Desculpe a estranheza, mas como sou nova não percebi. E fui à Wikipedia ver, descobrindo que, contra tudo o que eu pensava, afinal quem se formou primeiro, consumando a divisão da Alemanha, foi a República Federal Alemã que se formou em 23 de Maio de 1949. Enquanto a RDA só se formou em Outubro desse ano. Assim sendo, e estando nós em Maio, a efeméride que o seu post devia assinalar não seria a da formação da RFA ?
De João Tunes a 13 de Maio de 2009
Sim, tem toda a razão em termos de rigor do dia exacto do aniversário. Mas, como admitirá, para estados artificiais, por criação político-administrativa de potências ocupantes, a esolha da data é meramente conjuntural. Pode-se até dizer que a criação da RDA e da RFA deram-se, na essência dos factos, imediatamente no final da guerra e com a criação de zonas de ocupação (previstas nos Acordos de Potsdam). A repartição da Alemanha entre o Exército Vermelho e as forças militares dos aliados ocidentais inviabilizava, à partida, a existência de uma Alemanha. Em Maio de 49 verificou-se o fim do bloqueio soviético a Berlim Ocidental. Após o que se tinha passado (esteve-se muito à beira de um conflito nuclear entre a URSS e os EUA) e com o desfecho (recuo soviético no seu fito de estrangular Berlim Ocidental), a RFA e a RDA eram realidades inevitáveis (embora seja discutível o conceito de inevitabilidade histórica, o que aconselharia a optar-se pelo conceito da previsibilidade). Os meses que decorreram desde o fim do bloqueio até à institucionalização da RFA e da RDA, foram os estritamente necessários para formalizar a constituição dos orgãos dos dois Estados. Mas quanto às decisões, eu sinalizo-as em Maio de 49, pelas razões que aduzi. O que não retira nada á pertinência da sua chamada de atenção.

Mas o post teve muito a ver, reconheço, com o gosto especial que tenho pela foto exibida do beijo entre Brejenev e Honnecker. É um instantâneo (não é uma montagem mas sim uma foto real) que diz mais sobre o comunismo que mil páginas de história escrita.

Obrigado pela visita e pelo comentário.
De joana freitas a 14 de Maio de 2009

Obrigado pelos esclarecimentos. Mas, atendendo o que muitos leitores jovens como eu não o sabem, quanto à imagem não seria mais educativo para não dizer mais sério informar que o beijo na boca entre homens eslavos (pelo menos entre os russos) é uma tradição tão natural e antiga como o nosso aperto de mão ?
De João Tunes a 14 de Maio de 2009
Está bem, eu ensino os mais novos como vc: Honnecker não era eslavo nem russo, era germânico e alemão cuja cultura e ciostumes não contêm o hábito beijoqueiro. Portanto, no caso, é legítimo considerar que a adopção por Honnecker, em nome da RDA, de uma saudação que era estranha à sua cultura e protocolo, o beijo como cumprimento entre homens, foi um sinal de submissão perante Brejenev e a URSS. E que beijo!

Já agora e mais: os russos (nem todos os eslavos o fazem) têm vários níveis de afecto no cumprimento e não recorrem ao beijo com todos os homens. Os beijos nas faces já obedecem a um certo grau de estima e confiança, usam-nos para pessoas que consideram ao nível da amizade fraternal. São raríssimos os beijos na boca, só reservados para momentos especiais e para pessoas muito especiais. E nada obriga que alguém se submeta a hábitos que não são seus sem que isso belisque a consideração. Cunhal, como se sabe, tinha relações estreitas, de fraternidade política e forte amizade pessoal com vários dirigentes soviéticos, mas, sempre que se encontrava com eles, por causa das tosses, esticava imediatamente o braço para impor o aperto de mão, antes que o abraço e o beijo viessem inevitáveis.

Sobre o tema, não ponho mais na escrita, pois não sou prof de protocolo. Desejo que volte sem a impertinência de me exigir ser "mais sério". Porque se duvida da seriedade praticada neste sítio, voltar aqui é atracção sua por más companhias. Como é nova, evite-as.
Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

j.tunes@sapo.pt


. 4 seguidores

Pesquisar neste blog

Maio 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Posts recentes

Nas cavernas da arqueolog...

O eterno Rossellini.

Um esforço desamparado

Pelas entranhas pútridas ...

O hino

Sartre & Beauvoir, Beauvo...

Os últimos anos de Sartre...

Muito talento em obra pós...

Feminismo e livros

Viajando pela agonia do c...

Arquivos

Maio 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Junho 2013

Março 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Junho 2012

Maio 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

Agosto 2004

Julho 2004

Junho 2004

Maio 2004

Abril 2004

Março 2004

Fevereiro 2004

Links:

blogs SAPO