Quarta-feira, 4 de Outubro de 2006

NA ÍNDIA, COM CHARME E FLORES

000f8kft

Seria um estulto egoísmo nacionalista os portugueses beneficiarem em exclusivo da benção do charme político de Jerónimo de Sousa. Felizmente, o Líder não pensa assim. Em perfeita consonância com a matriz internacionalista da sua organização. Tanto que, recentemente, espraiou os seus dotes de simpatia sedutora pela Ásia numa memorável e impressiva visita à Índia. Os resultados foram exaltantes como se pode depreender da entrevista que deu, após regresso à luta lusa contra o governo direitista do PS, ao órgão oficial do partido que dirige.

 

Nesta entrevista, ficamos a saber que “esta deslocação foi resultado de um convite feito pelos dois partidos [Partido Comunista da Índia e Partido Comunista da Índia (Marxista)] ao PCP e ali teve uma recepção calorosa, em que, por exemplo, centenas de pessoas – militantes e simpatizantes do PCI e também do PCI(M) – nos aguardavam no aeroporto, cobrindo-nos de flores, de simpatia”.

 

Sacudidas as pétalas das flores e passado o rubor por tanta simpatia, Jerónimo constatou que “A Índia é um país com mil e cem milhões de habitantes. Em que se poderia dizer que existem duzentos milhões de ricos e muito ricos e novecentos milhões de pobres e extremamente pobres. O que de facto impressiona é a dimensão dessa pobreza que se verifica nas ruas dessas cidades.”

 

Complexo, mas não indecifrável, terá sido, depois, o entendimento dos paradoxos políticos que levam os dois PC’s indianos hospedeiros, no desiderato de uma divisão social “duzentos milhões / novecentos milhões”, serem (ambos) uma base de apoio político do governo indiano em funções (dirigido pelo grande partido burguês – o Partido do Congresso). Mas como Jerónimo não desarma perante qualquer complexidade dialéctica, ele entendeu bem a posição dos seus camaradas indianos: “Aos comunistas [indianos] colocou-se a questão, não de um apoio explícito ao governo do Partido do Congresso, mas a definição de um programa mínimo. O que não obstaculiza a luta contra esse mesmo governo em termos de políticas económicas e sociais e particularmente no plano da política externa. (…) Portanto, esse foi o caminho escolhido pelos camaradas, tanto do PCI como do PCI(M).” Ou seja, um exemplo de praxis do contraditório. E que fará a alegria intelectual inspirada de António Vilarigues numa sua próxima aula de materialismos dialéctico e histórico a partir da cátedra de opinião que o jornal “Público” lhe concede.

 

Felizes os indianos. Muito bem empregue terá sido o investimento das muitas pétalas de flores com que acolheram o Líder. Nós também. Que mais não seja por esta espécie de “regresso à Índia”, esse velho sonho lusitano-saudosista. Agora com o verniz internacionalista.

 

O que Jerónimo não esclareceu, nem sobre isso o entrevistador do seu jornal se atreveu a questioná-lo, foi porque raio visitou a Índia a convite de dois (!) PC’s. Terão por lá um PC para os “duzentos milhões” e outro PC para os “novecentos milhões”? E se um se intitula "marxista" o outro é o quê?

Publicado por João Tunes às 23:36
Link do post | Comentar

j.tunes@sapo.pt


. 4 seguidores

Pesquisar neste blog

Maio 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Posts recentes

Nas cavernas da arqueolog...

O eterno Rossellini.

Um esforço desamparado

Pelas entranhas pútridas ...

O hino

Sartre & Beauvoir, Beauvo...

Os últimos anos de Sartre...

Muito talento em obra pós...

Feminismo e livros

Viajando pela agonia do c...

Arquivos

Maio 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Junho 2013

Março 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Junho 2012

Maio 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

Agosto 2004

Julho 2004

Junho 2004

Maio 2004

Abril 2004

Março 2004

Fevereiro 2004

Links:

blogs SAPO