Segunda-feira, 11 de Fevereiro de 2008

FALA O ROTO AOS NÚS

 

Realizou-se recentemente em Lisboa uma reunião do Conselho Geral da Federação Mundial da Juventude Democrática (FMJD), uma das organizações internacionais criadas pelos soviéticos para aglutinar “frentes” que servissem os interesses da URSS enquanto grande potência e do movimento comunista internacional a ela subordinada, entre as poucas que ainda sobrevivem. Actualmente, na sua marcha moribunda de satélite de um astro desfeito, a FMDJ, tocando o ponto mais baixo de audiência e representatividade, entregou a sua presidência à Jota do PCP.  

 

Segundo o “Avante”, o conclave lisboeta dos jovens saudosistas internacionais do comunismo reuniu 80 delegados de mais de 40 organizações de juventude de países de todos os continentes do globo, representando as várias organizações membro do FMJD”, com destaque para a “presença de delegados de organizações que escolheram e constroem sociedades diferentes, alternativas à exploração e à injustiça, como Cuba, República Democrática e Popular da Coreia, Venezuela, Vietname e Zimbabué.

 

Guloso como é pela oportunidade que nunca desperdiça de botar discurso, Jerónimo de Sousa não defraudou tão nobre tribuna perante tão empedernidos democratas, como são os que controlam as juventudes partidárias em Cuba, Coreia do Norte, Vietname e Zimbabwé, para lhes explicar como são as dores da democracia nestas terras portuguesas:

 

«Em Portugal há uma intensa campanha ideológica e um poderoso ataque às liberdades e garantias democráticas, aos direitos das organizações juvenis, às associações de estudantes, ao direito de organização e de manifestação dos jovens portugueses, ofensiva inseparável da limitação às liberdades e aos direitos dos trabalhadores em centenas de empresas e locais de trabalho», afirmou, acusando o Governo, «com uma Lei dos Partidos e do Financiamento dos Partidos», de querer impor ao PCP «um funcionamento diferente daquele que livremente decidimos ter».
«É para dar resposta a isso que no próximo dia 1 de Março realizaremos uma grande manifestação em Lisboa, uma Marcha pela Liberdade e Democracia, uma afirmação do direito à organização política livre e consciente, uma afirmação de liberdade», anunciou, o secretário-geral do PCP.

 

Imagem: Jovens quando enquadradas no “sistema socialista mundial” (ex-Checoslováquia). Provavelmente, esperando a esperança num amanhã menos chato, sem fardas nem fardinhas.

Publicado por João Tunes às 22:33
Link do post | Comentar
4 comentários:
De Van Aerts a 12 de Fevereiro de 2008 às 00:45
Devo agradecer-lhe a oportunidade de poder ler tanto do Avante. Se nao fosse este espaço seguramente nao o iria consultar.

Um efeito preverso sucede no entanto, graças a si possilvelmente o jornal do PC poderá ter mais assinantes pois nao só eu mas igualmente pessoas que me sao próximas encaramos com seriedade a possibilidade de assinar um jornal que nos proporciona momentos verdadeiramente divertidos, sonoras gargalhadas e que nao encontramos á mao pelo facto de sermos emigrantes.

P.s. Se calhar existirá apenas um assinante que o recebe e destribui aos restantes interessados porque o que é de mais, é moléstia.
De João Tunes a 12 de Fevereiro de 2008 às 16:24
Caro Van Aerts,

Posso pertencer à irredutível minoria dos que leem metódica e assiduamente o Avante (talvez reflexo de honra à minha meninice e juventude em que os recebia e passava, dobrados no volume mínimo que o "papel de arroz" tão bem permitia, com o coração aos saltos por causa dos olhares indiscretos). Hoje, naturalmente, o Avante virou pasquim sectário de uma fracção que domina o PCP. E é esse o seu interesse documental de hoje, enquanto prova autenticada do enorme embuste de duplicidade que o PCP exibe nas barbas da democracia portuguesa. Enquanto no Parlamento, nos blogues, na comunicação social, nas lutas sociais, o PCP se arroga a mais virginal da essência democrática do regime (e seu vigilante-mor), o Avante continua a ser a descarga catártica de um estalinismo serôdio, foleiro e aventureiro que, pela forma canibal como se exprime, faria corar Cunhal, um exegeta do marxismo-leninismo e seu cultivador na forma asceta e asséptica, elitista também (quase aristocrática) e que era própria de um "príncipe de Moscovo". E julgo deveras interessante, até para perceber a actual comunicação em política, como esta duplicidade passa e resulta (embora, felizmente, em termos de eco eleitoral não atinja o segundo dígito). Num jogo de enganos, politicamente aceite como correcto, o PCP pode ser urbano, civilizado e exigente (aceitando a democracia e só querendo mais democracia) quando "fala para fora", mas tem de contentar o seu alter ego estalinista, o que mantém a união entre hostes, através do Avante, fazendo a catarse interna da impaciência revolucionária, das sedes de ódio de classe, da irresistível atracção pela ditadura iluminada que os exalte como minoria que são vanguarda, do seu olhar de alianças pelo mundo procurando desesperadamente apoios e alianças, não se coibindo de se apoiarem, e apoiarem, os assassinos, ditadores e bombistas (numa corruptela espantosa da tradição de exigência revolucionária que sempre alijou o aventureirismo e o terrorismo como praticantes revolucionários. E também uma reprodução esquizofrénica da realidade social e política que compense o discurso dualista do PCP, procurando regredir para o estereótipo serôdio do fascismo/antifascismo, encenando-lhes um quadro heróico em que eles lutam hoje - com eleições, Parlamento e grupo parlamentar do PCP - numa realidade de neo-fascismo (pior que o velho-fascismo, na medida em que os fascistas de hoje são os irmãos-traidores socialistas).

Finalmente, confesso-lhe o que mais me dá gozo ao citar o Avante: é, cada vez que o faço, ter um ou vários comentadores a bramar que citar o Avante, transcrevê-lo, é manifestação de peçonhento anticomunismo (repare na baba derramada aqui pelo "Lucia Lima"). O que é prova que eles, os fiéis de pala jerónima, usam mas não suportam a dualidade que criticam. Há aqui uma interessante deslexia psicológica que vai acabar mal: ou os iranianos atiram rápido a bomba atómica e eles, e nós, nos vamos a cantar a Internacional e a ler o Corão, não havendo nem capitalismo nem socialismo para ninguém, ou eles acabam todos reunidos a eleger o Comité Central e o Secretário Geral no Júlio de Matos. Mas, talvez em última esperança de saída saudável, eles encarrilem após lerem melhor, com mais vagar, o Carlos, o Frederico, o Vladimir e o Álvaro (e o Suslov, sobretudo o Suslov, o genial Suslov, o pragmático Suslov, o que subiu ao Secretariado com Estaline, acompanhou Krutchov até o derrubar, reinou com Brejnev e ainda sobreviveu no olimpo com Andropov, morrendo com o fato do Politburo, tão manhoso que foi ideólogo e santo protector do Álvaro no altar do Kremlin).
De Lucia Lima a 12 de Fevereiro de 2008 às 01:02
Tanto anticomunismo já começa a feder!
De Alex a 12 de Fevereiro de 2008 às 01:05
Lucia Lima, tenha tento e... vá fazer um chazinho!

Comentar post

liuxiaobo.jpg

j.tunes@sapo.pt


. 4 seguidores

João Tunes

Pesquisar neste blog

Maio 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Posts recentes

Nas cavernas da arqueolog...

O eterno Rossellini.

Um esforço desamparado

Pelas entranhas pútridas ...

O hino

Sartre & Beauvoir, Beauvo...

Os últimos anos de Sartre...

Muito talento em obra pós...

Feminismo e livros

Viajando pela agonia do c...

Arquivos

Maio 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Junho 2013

Março 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Junho 2012

Maio 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

Agosto 2004

Julho 2004

Junho 2004

Maio 2004

Abril 2004

Março 2004

Fevereiro 2004

Links:

blogs SAPO