Quarta-feira, 14 de Novembro de 2007

MAIS UM LIVRO PARA SE NÃO LER

0026d4rg

 

Aqui está (mais) um interessante e útil livro sujeito a ser deslido com assobios para o lado. Porque Nick Cohen (1), mais uma vez, questionando a esquerda dentro da esquerda, com este seu “O que resta da esquerda?(2) levanta os absurdos a que levou o plano inclinado da inércia dos estereótipos da esquerda no seu processo de orfandade de referências, quando o comunismo caíu de podre, nomeadamente quanto à busca, em desorientado pânico, como se repentinamente tivesse caído num quarto escuro da solidariedade, dos lugares onde estão os inimigos, os amigos e os aliados. Mas Nick Cohen, pior que isso (do ponto de vista do sossego da preguiça da esquerda), demonstra que todo o deslizar de abraços (expressos ou apenas cúmplices) para com gente imprópria, forças saídas da escuridão medieva e com uma essência política a tresandar a fascismo, tem uma lógica, a da fixação assente em dois pilares quase ancestrais na esquerda eternamente oscilante entre os modelos democrático e revolucionário: a) a aversão fundamental da esquerda que vive em democracia para com a democracia (baseando-a no asco ao capitalismo) e disponível para apoiar contrapontos onde jamais aceitaria viver; b) a persistente antipatia referencial para com os Estados Unidos e Israel (os dois juntos a comporem o estereótipo caricatural detestável do “judeu endinheirado”, a casar na perfeição com um ódio cristão de estimação), demonstrando que, além da morte política, o komintern não só continua como contamina o próprio outono do reformismo, em tempos apelidado de “social-fascismo” (e o paradigma Mário Soares aí está a demonstrá-lo na plenitude vigorosa do seu ultra-esquerdismo tardio).

 

É sobre o aparente paradoxo de tantos liberais de esquerda se irmanarem, hoje, na simpatia (activa ou apenas condescendente) com as forças da extrema-direita, que trata este livro. Difícil de encaixar na auto-estima da esquerda rica disponível para entrar nos peditórios dos que assaltam os pilares do seu viver e direito a opinar. Livro indigesto para a sesta política. E se querem um pretexto politicamente correcto para lhe passarem ao lado nas livrarias, eu forneço-o com gozo: a editora que lançou o livro entre nós é a da actual valdevinas política com maior concentração de embirrações (uma tal Zita Seabra) (3).

  

-----

 

(1) – Jornalista inglês, colaborador do “Observer”, “New Statesman”, “London Evening Standard” e “New Humanist”. Publicou antes “Cruel Britannia” e “Pretty Straight Guys” (uma demolidora crítica ao governo Blair e que incendiou a opinião inglesa "de esquerda").

(2) – “O que resta da Esquerda?”, Nick Cohen, Aletheia Editores.

(3) - Nota do dia seguinte: Os que leram a crónica do Rui Tavares de hoje ("Público" de 15/11), portanto posterior a este post, digam lá se "eles", os virgens da esquerda, não são fáceis de topar. Lá está o velho tique estalinista que corrompe mesmo quem não o é ou não quer que digam que é: desqualifica-se Zita (oh como gostam de bater na ceguinha!); por arrasto, desqualifica-se a "editora da Zita"; logo desqualificado está o livro hereticamente incómodo publicado pela "editora da Zita".

Publicado por João Tunes às 14:55
Link do post | Comentar
liuxiaobo.jpg

j.tunes@sapo.pt


. 4 seguidores

João Tunes

Pesquisar neste blog

Maio 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Posts recentes

Nas cavernas da arqueolog...

O eterno Rossellini.

Um esforço desamparado

Pelas entranhas pútridas ...

O hino

Sartre & Beauvoir, Beauvo...

Os últimos anos de Sartre...

Muito talento em obra pós...

Feminismo e livros

Viajando pela agonia do c...

Arquivos

Maio 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Junho 2013

Março 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Junho 2012

Maio 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

Agosto 2004

Julho 2004

Junho 2004

Maio 2004

Abril 2004

Março 2004

Fevereiro 2004

Links:

blogs SAPO