Terça-feira, 13 de Novembro de 2007

AS BAIXAS ANTES DA GUERRA

0026b2y6

 

O 5º episódio de hoje da série de Joaquim Furtado sobre as guerras nas colónias portuguesas (RTP 1, às terças-feiras) não apresentou uma única imagem de combates. Foi um episódio inteiramente “civil”. E, no entanto, apresentou os mortos, os feridos e os estropiados que explicam a guerra. Porque os outros, os que vieram depois, foram as vítimas das labaredas. Mas os fósforos e a estupidez piromaníaca andavam a monte antes, numa esquizofrenia de pastorícia da imbecilidade histórica embebida no racismo esclavagista. Era esse o “Minho a Timor”, uma fornalha em que depois se enfiaram vagas de juventudes portuguesas e africanas. Para o churrasco de um mito.

Publicado por João Tunes às 23:27
Link do post | Comentar
7 comentários:
De Rui Bebiano a 14 de Novembro de 2007 às 00:38
O melhor episódio até agora, se observarmos a série na sua componente pedagógica. Assim tudo se fica a perceber melhor. Mesmo o lado do avesso, ilustrado por aquela imagem de um engraxador branco a polir os sapatos de um negro (provavelmente) assimilado.
De João Tunes a 14 de Novembro de 2007 às 15:32
A cena é de facto exemplar. Claro que o engraxado era assimilado, senão na zona do asfalto só podia circular para ir e vir do trabalho (e com hora de recolher). Quanto ao engraxador, exemplo da colonização tipicamente alargada em Angola (em Moçambique não foi assim), a ocupação por colonos de lugares pouco qualificados (só em Luanda os taxistas eram brancos) levou ao afastamento desses postos de trabalho dos negros que antes os ocupavam e baixou o horizonte de promoção profissional e social dos africanos. Outro caso comparativo, não abordado na série (ainda?), é que enquanto em Angola toda a escala dos funcionários da PIDE, de cima a baixo, era composta por brancos, enquanto em Moçambique (conotada com um mais acentuado racismo), por défice de povoamento europeu, os escalões inferiores dos torcionários da PIDE já incluíam negros.
De Godzilla a 14 de Novembro de 2007 às 05:13
O mal do que se está a ver, foi no inicio ter havido o receio de dar aos documentários o seu verdadeiro título. "A GUERRA", mas qual? Aquela em que se ouve um individuo dizer alto e bem som que receberam armas da Tunísia através do exercito deste país na ONU.
Ou ainda do mesmo individuo que havia ordem para matar o branco e o preto que não quisesse alinhar com eles? Mesmo que fossem crianças?
Afinal tivemos o quê? Uma guerra de libertação, para se libertarem do quê?
Será que são livres agora e deixaram de ser explorados?
No episódio de ontem falam-nos de conceitos reais, mas aquilo que eu vi naqueles tempos em nada se compara com a realidade dos dias de hoje.
Será uma história que se terá que escrever mas sem outras 'estórias ' pelo meio. É que cada um de nós que lá esteve a dar o corpo ao manifesto tem muitas 'estórias ' par fazer a história e se calhar mesmo assim há outras mais reais do que a sua.[:<]
De Pinto de Sá a 14 de Novembro de 2007 às 14:27
Foi excelente , mais uma vez, o episódio de ontem!
Ocorre-me, porém, que a bem da contextualização histórica vale a pena ter dois factos em conta:
1) não sei de país algum que, à época (anos 50), não tratasse os pretos com racismo. O movimento pelos direitos civis ainda não tinha ocorrido nos EUA e Estaline nunca pôs em causa os Impérios coloniais, razão por que o PCP só acordou para o anti-colonialismo no seu Congresso de 1956.
2) a "correcção" pela palmatória não era só apanágio dos pretos: naquele tempo toda a gente - brancos e pretos - era corrigido dessa forma na escola primária.
Não estou aqui a procurar "branquear" nada. Apenas a lembrar que se calhar naquele tempo (anos 50) teríamos achado tudo normal. Mas ainda bem que os tempos mudaram, claro!
De ANTIGOS COMBATENTES a 14 de Novembro de 2007 às 22:39

Espero que venha a ser tratado o assunto dos Antigos Combatentes , o OSTRACISMO a que fôramos votados , vários países com colónias já deram direitos aos antigos Militares . A injustiça dura à 33 anos Reformas a partir dos 55 anos para os Combatentes .
Os políticos deviam ter vergonha do tratamento que nos deram, Vergonha sim.
De João Tunes a 15 de Novembro de 2007 às 14:32
Com um subsídio complementar para frequentar um curso de portugês a ser dado às vítimas da maior vergonha: a dos que, tendo defendido a bandeira portuguesa, não conseguiram aprender a língua portuguesa. Apoio meu, o de um antigo combatente.
De Godzilla a 17 de Novembro de 2007 às 20:41
Como combatente não me revejo em muitas posições tidas por algumas Associações de Antigos Combatentes. Somos ex-combatentes mas não inválidos. A todos os que tiveram a infelicidade de ficar deficientes a esses sim deveria haver mais cuidados, consoante os seus graus de deficiência. Aos que faleceram dever-se-ia compensar as famílias com melhores condições. Contudo aquilo porque se lutou de principo está conseguido, A contagem do tempo em que se esteve na vida militar obrigatóriamente.

Comentar post

liuxiaobo.jpg

j.tunes@sapo.pt


João Tunes

Pesquisar neste blog

Maio 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Posts recentes

Nas cavernas da arqueolog...

O eterno Rossellini.

Um esforço desamparado

Pelas entranhas pútridas ...

O hino

Sartre & Beauvoir, Beauvo...

Os últimos anos de Sartre...

Muito talento em obra pós...

Feminismo e livros

Viajando pela agonia do c...

Arquivos

Maio 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Junho 2013

Março 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Junho 2012

Maio 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

Agosto 2004

Julho 2004

Junho 2004

Maio 2004

Abril 2004

Março 2004

Fevereiro 2004

Links:

blogs SAPO