Quarta-feira, 28 de Janeiro de 2009

FÉ EM CONVERSA DE AMIGOS

 

O encadeado está viciado, minha cara irmã por escolha. Nós, os ateus, não negamos nada. Simplesmente não acreditamos no que vocês, os crentes, inventaram (os deuses). O que é mais velho que o cristianismo, vem já do paganismo. Mas, diga-se em vosso abono, que a invenção dos deuses, sem atender aos seus porquês e a que necessidades atendem, é obra de imaginação prodigiosa, um património cultural da humanidade. E as sociedades laicas, ao remeterem a religiosidade para o seu domínio apropriado, o da cultura, são as únicas que podem ser verdadeiramente eucuménicas, aquelas em que ninguém precisa de negar o outro para afirmar a sua identidade nem fabrica tolerâncias, essas formas subtis de disfarçar superioridades (como a do sofisma de dizer “eu acredito no que não provo, tu não acreditas naquilo de que não provas a negação” como se houvesse similitude na necessidade de prova).

Publicado por João Tunes às 15:52
Link do post | Comentar
8 comentários:
De mc a 28 de Janeiro de 2009 às 18:03
:)

caríssimo mano, nesta é que não nos vamos mesmo entender.

A similitude é igual. Embora o facto de eu usar este termo de "prova" seja uma grande concessão da minha parte. Já há muito deixei essa linguagem das "provas", aliás, fujo de todas elas a sete pés.

É impossível nestas conversas não surgirem paradoxos vários. Os meios de que dispomos e, entre eles, a linguagem são limitados. Deus tem de estar para além dos nossos limites, caso contrário não seria Deus.

Quanto às sociedades laicas, estou de acordo, que as religiões têm muitos valores a aprender com elas. Mas o contrário também é verdade.
De João Tunes a 28 de Janeiro de 2009 às 20:53
mc, desculpe mas a sua valente pertinácia identitária (com a presunção própria de quem vive num país em que a religião que professa se casou com o poder durante séculos, foi religião oficial e ideologia oficial) merece uma dureza argumentária à altura. Vcs, religiosos, não têm que aprender ou ensinar com a sociedade laica, terão de viver nela. Com os outros, como os outros. Em X como maioria cultural, em Y como minoria cultural, sempre falando em nome do vosso rebanho, não da sociedade nem a marcando nas suas opções de valores. Porque não há sentido legítimo para, por terem inventado uma fábula sobre o mundo, a humanidade e a sua espiritualidade, e uma maneira própria de sofrerem ao se submeterem, cobrarem a todos os direitos de autor. Neste capítulo, fiquem-se pelo dízimo a pagar pelos fiéis da mesma fé. E ainda vão agradecer aos ateus o papel de moderação e equilíbrio nas disputas inter-religiosas que se geram no convívio difícil entre as fés concorrentes.

Abraço em amizade.
De Joana Lopes a 28 de Janeiro de 2009 às 18:16
Olha que dois!
E eu deveria estar talvez a meio caminho mas: sorry, MC, estou totalmente com o João...
De mc a 28 de Janeiro de 2009 às 20:27
Joana,

escolhemos caminhos e posições, mas a verdade é que vamos todos no "mesmo barco". a um ateu isto soará a sobranceria. não é.

e eu sou claramente uma católica de fronteira, sempre pronta a pôr tudo em causa. mas acabo por sentir que é mais forte do que eu, esta coisa de crer.
De Joana Lopes a 28 de Janeiro de 2009 às 20:30
Sobranceria? De todo, MC. Fé é isso mesmo, algo que se sente como «imposto».
De mc a 29 de Janeiro de 2009 às 19:42
Joana,

o "imposto" aqui é lido do seguinte modo:existem sujeições boas. Que não põem em causa a liberdade. É desse modo que vivo a fé. mas podemos não estar a falar a mesma linguagem, temos percursos bem diferentes.
De mc a 29 de Janeiro de 2009 às 19:48
caro mano,

ficará para próxima oportunidade uma resposta ao seu comentário. Claro que um católico ainda se sente muito confortável na Europa e no mundo ocidental. Mas existem outras realidades de viver o catolicismo e cristianismo. e as preposições da fé não mudam.

O sofrimento não é exclusivo do cristianismo. Houve um exagero de valorizar esse sofrimento. Sofrimento pelo sofrimento não é a mensagem cristã. Mas ele está presente na vida humana. O cristianismo dá-lhe um sentido. Deus porá fim ao mesmo.

Abraço, sempre
De João Tunes a 31 de Janeiro de 2009 às 00:19
Eu espero. Vivo na fé da paciência para com todos os ungidos pela boa vontade.

Abraço.

Comentar post

liuxiaobo.jpg

j.tunes@sapo.pt


. 4 seguidores

João Tunes

Pesquisar neste blog

Maio 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Posts recentes

Nas cavernas da arqueolog...

O eterno Rossellini.

Um esforço desamparado

Pelas entranhas pútridas ...

O hino

Sartre & Beauvoir, Beauvo...

Os últimos anos de Sartre...

Muito talento em obra pós...

Feminismo e livros

Viajando pela agonia do c...

Arquivos

Maio 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Junho 2013

Março 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Junho 2012

Maio 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

Agosto 2004

Julho 2004

Junho 2004

Maio 2004

Abril 2004

Março 2004

Fevereiro 2004

Links:

blogs SAPO